quinta-feira, 28 de abril de 2016

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES E CONTAS DE 2015

A Assembleia Geral desta associação reuniu, conforme convocatória, no passado dia 26 de março, tendo o Relatório de Actividades e Contas de 2015 sido aprovados. Deixamos, no link abaixo, acesso ao documento para consulta e informação aos interessados.

ACRA_EC, RELATÓRIO E CONTAS DE 2015

sexta-feira, 4 de março de 2016

ASSEMBLEIA GERAL em 26 de MARÇO de 2016 (CONVOCATÓRIA)

O Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral convocou para o próximo dia 26 de março a Assembleia Geral, cujo teor da convocatória abaixo se transcreve:





Nota:
O Relatório de Actividades e Contas de 2015, está disponível para consulta na sede da Associação e em (link):
 Relatório de Actividades e Contas de 2015, ACEDA AQUI »»»

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

IRS de 2015, As datas (novas) para entrega: Abril e Maio de 2016

Se até lá não acontecerem mais alterações e segundo a informação até hoje (24/02/2016) disponível, são estas as datas para entrega da declaração modelo 3 de IRS relativa ao ano de 2015:

Primeira fase
Inclui os rendimentos da categoria A (trabalho dependente) e da categoria H (Pensões):
de 1 de Abril a 30 Abril  (Prazo original: de 15 de Março a 15 de Abril) 
           
Segunda fase
Restantes rendimentos, nomeadamente a categoria B, dos trabalhadores independentes, categoria F (rendas), etc.
de 1 de Maio a 31 de Maio (Prazo original: de 16 de Abril a 16 de Maio).


Conteúdo meramente informativo,  sem responsabilidade da entidade titular deste bloque, não dispensando a consulta da respectiva legislação.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

IRS de 2015: Pensões inferiores a 8.500€ dispensados da entrega da declaração de IRS.

Os pensionistas com pensões inferiores a 8.500€ (anuais) estão dispensados da entrega da declaração de IRS, excepto quanto existam retenções na fonte de IRS (IRS descontado pela entidade pagadora da pensão) (art. 58.º do CIRS, versão: Lei 27/2015, de 6 de julho).  Se o cônjuge tiver um rendimento inferior a 8.500€ estará igualmente dispensado da entrega da declaração de IRS. 
Se um dos membros do casal, auferir um rendimento superior a este valor, será vantajoso entregar em conjunto. A mesma situação se aplica aos titulares de rendimentos da cagetoria A (trabalho por conta de outrém). 


 Transcrição do art. 58.º do CIRS:
"Artigo 58.º
Dispensa de apresentação de declaração
1 - Ficam dispensados de apresentar a declaração a que se refere o artigo anterior os sujeitos passivos que, no ano a que o imposto respeita, apenas tenham auferido, isolada ou cumulativamente:

a) Rendimentos tributados pelas taxas previstas no artigo 71.º e não optem, quando legalmente permitido, pelo seu englobamento;

b) Rendimentos de trabalho dependente ou pensões, desde que o montante total desses rendimentos seja igual ou inferior a (euro) 8 500 e estes não tenham sido sujeitos a retenção na fonte, sem prejuízo do disposto na alínea d) do n.º 3.

2 - Ficam igualmente dispensados de apresentar a declaração a que se refere o artigo anterior os sujeitos passivos que, no ano a que o imposto respeita:

a) Aufiram subsídios ou subvenções no âmbito da Política Agrícola Comum (PAC) de montante anual inferior a quatro vezes o valor do IAS, desde que simultaneamente apenas aufiram outros rendimentos tributados pelas taxas previstas no artigo 71.º e, bem assim, rendimentos do trabalho dependente ou pensões cujo montante não exceda, isolada ou cumulativamente, (euro) 4 104; ou

b) Realizem atos isolados cujo montante anual seja inferior a quatro vezes o valor do IAS, desde que não aufiram outros rendimentos ou apenas aufiram rendimentos tributados pelas taxas previstas no artigo 71.º

3 - As situações de dispensa de declaração previstas nos números anteriores não abrangem os sujeitos passivos que:

a) Optem pela tributação conjunta;

b) Aufiram rendas temporárias e vitalícias que não se destinam ao pagamento de pensões enquadráveis nas alíneas a), b) ou c) do n.º 1 do artigo 11.º;

c) Aufiram rendimentos em espécie;

d) Aufiram rendimentos de pensões de alimentos a que se refere o n.º 5 do artigo 72.º de valor superior a (euro) 4 104.

4 - A dispensa de apresentação de declaração não impede os sujeitos passivos de, querendo, apresentarem declaração de rendimentos nos termos gerais.

5 - Nos casos em que os sujeitos passivos optem pela não entrega da declaração por reunirem as condições enumeradas nos números anteriores, a Autoridade Tributária e Aduaneira certifica, a pedido do sujeito passivo, sem qualquer encargo para este, o montante e a natureza dos rendimentos que lhe foram comunicados em cada ano, bem como o valor do imposto suportado relativamente aos mesmos."
Nota:
Conteúdo meramente informativo,  sem responsabilidade pela entidade titular deste bloque, não dispensando a consulta da respectiva legislação.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

RELEMBRANDO AS ANTIGAS FESTAS DE SÃO SEBASTIÃO, APAREÇA !

No próximo dia 07 de Fevereiro (1.º domingo de fevereiro) vamos comemorar as antigas e seculares festas em Honra de São Sebastião que, nesse dia do ano, se realizavam na nossa aldeia.

Os mais velhos relembram-nos do grande impacto social de tais festas, não só para aldeia como também para as povoações vizinhas, especialmente pela originalidade de algumas actividades que compunham o seu "cartaz". Nas memórias dos antigos estão ainda as famosas arrematações de produtos do porco.



O povo, naquele tempo, venerava o São Sebastião de Vale de Juncal como o Santo Protector das suas cevas (porco de engorda para a matança, muito importante na alimentação das populações), sendo tradição oferecer ao Santo uma parte do porco, geralmente uma orelheira, os pés, cabeças ou fumeiro, com as quais era realizada uma monumental arrematação que trazia à aldeia muitos forasteiros.


Depois, contam, havia ainda a arruaça de segunda-feira e as histórias de uma tal e célebre carreta!


Este ano vamos relembrar aquela tradição promovendo uma arrematação de fumeiro tradicional, doces e outros produtos da aldeia e da região. Antes haverá uma Missa e um almoço convívio aberto a toda a gente, da terra ou visitantes, amigos e amigos dos amigos!

Para tudo isto contamos com a colaboração (e a presença)  de todos.



"São Sebastião
Portugal 
Em Portugal, há comemorações [...]l. Comemora-se ainda, em várias localidades do concelho de Mirandela, entre outras, no Bairro de S. Sebastião (no segundo Domingo de Setembro), em Cabanelas (no dia 20 de Janeiro), em Vale de Prados (no terceiro Domingo de Janeiro), em [..]. É Santo Padroeiro de Vale de Juncal, do mesmo concelho, cujas festividades seculares ocorriam no primeiro Domingo de Fevereiro de cada ano. É ainda Padroeiro da Aldeia do..[...]"
Fonte: Wikipédia.


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

A Lenda de São Nicolau (St. Nicolas, Santa Claus, Pai Natal, Papai Noel)

Nicolau, filho de cristãos abastados, nasceu na segunda metade do século III, em Patara, uma cidade portuária muito movimentada. Conta-se que foi desde muito cedo que Nicolau se mostrou generoso. 

Uma das histórias mais conhecidas relata a de um comerciante falido que tinha três filhas e que, perante a sua precária situação, não tendo dote para casar bem as suas filhas, estava tentado a prostituí-las. Quando Nicolau soube disso, passou junto da casa do comerciante e atirou um saco de ouro e prata pela janela aberta, que caiu junto da lareira, perto de umas meias que estavam a secar. Assim, o comerciante pôde preparar o enxoval da filha mais velha e casá-la. Nicolau fez o mesmo para as outras duas filhas do comerciante, assim que estas atingiram a maturidade.

Quando os pais de Nicolau morreram, o tio aconselhou-o a viajar até à Terra Santa. Durante a viagem, deu-se uma violenta tempestade que acalmou rapidamente assim que Nicolau começou a rezar (foi por isso que tornou também o padroeiro dos marinheiros e dos mercadores). Ao voltar de viagem, decidiu ir morar para Myra (sudoeste da Ásia menor), doando todos os seus bens e vivendo na pobreza.

Quando o bispo de Myra da altura morreu, os anciões da cidade não sabiam quem nomear para bispo, colocando a decisão na vontade de Deus. Na noite seguinte, o ancião mais velho sonhou com Deus que lhe disse que o primeiro homem a entrar na igreja no dia seguinte, seria o novo bispo de Myra. Nicolau costumava levantar-se cedo para lá rezar e foi assim que, sendo o primeiro homem a entrar na igreja naquele dia, se tornou bispo de Myra.
S. Nicolau faleceu a 6 de Dezembro de 342 (meados do século IV) e os seus restos mortais foram levados, em 1807, para a cidade de Bari, em Itália. É actualmente um dos santos mais populares entre os cristãos.

S. Nicolau tornou-se numa tradição em toda a Europa. É conhecido como figura lendária que distribui prendas na época do Natal. Originalmente, a festa de S. Nicolau era celebrada a 6 de Dezembro, com a entrega de presentes. Quando a tradição de S. Nicolau prevaleceu, apesar de ser retirada pela igreja católica do calendário oficial em 1969, ficou associado pelos cristãos ao dia de Natal (25 de Dezembro)

A imagem que temos, hoje em dia, do Pai Natal é a de um homem velhinho e simpático, de aspecto gorducho, barba branca e vestido de vermelho, que conduz um trenó puxado por renas, que está carregado de prendas e voa, através dos céus, na véspera de Natal, para distribuir as prendas de natal. O Pai Natal passa por cada uma das casas de todas as crianças bem comportadas, entrando pela chaminé, e depositando os presentes nas árvores de Natal ou meias penduradas na lareira. Esta imagem, tal como hoje a vemos, teve origem num poema de Clement Clark More, um ministro episcopal, intitulado de “Um relato da visita de S. Nicolau”, que este escreveu para as suas filhas. Este poema foi publicado por uma senhora chamada Harriet Butler, que tomou conhecimento do poema através dos filhos de More e o levou ao editor do Jornal Troy Sentinel, em Nova Iorque, publicando-o no Natal de 1823, sem fazer referência ao seu autor. Só em 1844 é que Clement C. More reclamou a autoria desse poema.

Hoje em dia, na época do Natal, é costume as crianças, de vários pontos do mundo, escreverem uma carta ao S. Nicolau, agora conhecido como Pai natal, onde registam as suas prendas preferidas. Nesta época, também se decora a árvore de Natal e se enfeita a casa com outras decorações natalícias. Também são enviados postais desejando Boas Festas aos amigos e familiares.

Actualmente, Há quem atribuía à época de Natal um significado meramente consumista. Outros, vêem o Pai Natal como o espírito da bondade, da oferta. Os cristãos associam-no à lenda do antigo santo, representando a generosidade para com o outro.
Festas Felizes!
Fonte:  http://natal.com.pt/lendas-sao-nicolau-pai-natal-papai-noel


"Um Relato da visita de São Nicolau" :

Account of a Visit from St. Nicholas


’Twas the night before Christmas, when all thro’ the house,
Not a creature was stirring, not even a mouse;
The stockings were hung by the chimney with care,
In hopes that St. Nicholas soon would be there;
The children were nestled all snug in their beds,
While visions of sugar plums danc’d in their heads,
And Mama in her ‘kerchief, and I in my cap,
Had just settled our brains for a long winter’s nap —
When out on the lawn there arose such a clatter,
I sprang from the bed to see what was the matter.
Away to the window I flew like a flash,
Tore open the shutters, and threw up the sash.
The moon on the breast of the new fallen snow,
Gave the lustre of mid-day to objects below;
When, what to my wondering eyes should appear,
But a miniature sleigh, and eight tiny rein-deer,
With a little old driver, so lively and quick,
I knew in a moment it must be St. Nick.
More rapid than eagles his coursers they came,
And he whistled, and shouted, and call’d them by name:
“Now! Dasher, now! Dancer, now! Prancer, and Vixen,
“On! Comet, on! Cupid, on! Dunder and Blixem;
“To the top of the porch! to the top of the wall!
“Now dash away! dash away! dash away all!”
As dry leaves before the wild hurricane fly,
When they meet with an obstacle, mount to the sky;
So up to the house-top the coursers they flew,
With the sleigh full of Toys — and St. Nicholas too:
And then in a twinkling, I heard on the roof
The prancing and pawing of each little hoof.
As I drew in my head, and was turning around,
Down the chimney St. Nicholas came with a bound:
He was dress’d all in fur, from his head to his foot,
And his clothes were all tarnish’d with ashes and soot;
A bundle of toys was flung on his back,
And he look’d like a peddler just opening his pack:
His eyes — how they twinkled! his dimples how merry,
His cheeks were like roses, his nose like a cherry;
His droll little mouth was drawn up like a bow.
And the beard of his chin was as white as the snow;
The stump of a pipe he held tight in his teeth,
And the smoke it encircled his head like a wreath.
He had a broad face, and a little round belly
That shook when he laugh’d, like a bowl full of jelly:
He was chubby and plump, a right jolly old elf,
And I laugh’d when I saw him in spite of myself;
A wink of his eye and a twist of his head
Soon gave me to know I had nothing to dread.
He spoke not a word, but went straight to his work,
And fill’d all the stockings; then turn’d with a jerk,
And laying his finger aside of his nose
And giving a nod, up the chimney he rose.
He sprung to his sleigh, to his team gave a whistle,
And away they all flew, like the down of a thistle:
But I heard him exclaim, ere he drove out of sight —
Happy Christmas to all, and to all a good night.

NATAL: LENDA DA FLOR DE NATAL

Lenda da Flor de Natal  

Era uma vez, uma menina pobre chamada Pepita, que não podia oferecer um presente ao Menino Jesus na missa de Natal. Muito triste, contou ao seu primo Pedro, que ia com ela a caminho da igreja. Este disse-lhe que ela não tinha que estar triste, pois o que mais importa quando oferecemos algo a alguém, é o amor com que oferecemos, especialmente aos olhos de Jesus. Pepita lembrou-se então de ir recolhendo alguns ramos secos que ia encontrando pelo caminho, para lhe oferecer. Ao chegar à igreja, Pepita olha para os ramos que colheu e começa a chorar, pois acha esta oferenda muito pobre. Mesmo assim, decide oferecê-las com todo o seu amor. Entra na igreja e, quando deposita os ramos em frente à imagem do Menino Jesus, os ramos ganham uma cor vermelha brilhante, perante o espanto de toda a gente. Mais um milagre natalício, que se diz estar na origem da tradicional flor-de-Natal…
 Lenda antiga.Autor desconhecido.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

PORQUE HOJE É NATAL ! E...QUE SEJA NATAL TODO O ANO!

 História do sonho do Pai Natal

Certa noite, enquanto dormia, o Pai Natal teve um bonito sonho: era véspera de Natal e todos estavam felizes! Ninguém estava sozinho… Todos tinham família e uma casa com a mesa pronta para a ceia de Natal, onde não faltava comida farta e deliciosa. Não havia pobreza, nem ódio, nem guerras. Todos eram amigos e não havia brigas, palavrões nem má educação… Havia sim, amor, compreensão e carinho entre todos.
As pessoas que se encontravam nas ruas, a caminho de casa, cantarolavam alegremente músicas de Natal, levando as últimas prendas para colocar debaixo do pinheiro. E o Pai Natal não conseguia deixar de sorrir, de tanta felicidade, ao ver o mundo cheio de paz, amor e harmonia!
Quando o Pai Natal acordou e viu que tudo não passava de um sonho, ficou muito triste. Afinal, só algumas pessoas no mundo eram felizes, capazes de celebrar o Natal em alegria e paz com os seus, de terem um lar, comida, roupa e amor. Perante esta situação, o Pai Natal declarou em voz alta: “terei de continuar a ajudar as crianças e os adultos a terem um Natal realmente feliz! Vou preparar as renas e o meu trenó, para enchê-lo com presentes e distribui-los esta noite, de modo a que, pelo menos uma vez por ano, haja alegria no coração de todos nós!”
Quando viu os sorrisos das crianças e dos pais ao verem os seus presentes, o Pai Natal decidiu manter esta tradição. Continua assim, ano após ano, a cumprir a sua tarefa, até que um dia possa ver o seu lindo sonho totalmente concretizado.
Autor: J. Letria

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Christmas Music Classics and Holiday Scenery


NATAL, QUE SEJA UM BOM NATAL!


Lenda da Rosa de Natal

Na noite em que o Menino Jesus nasceu, uma pequena pastora, que no monte guardava o seu rebanho, viu passar alguns pastores e três Reis Magos, que se dirigiam para o estábulo onde Jesus estava, junto de Maria e José. Os pastores levavam presentes e os três Reis Magos levavam ricas ofertas de ouro, incenso e mirra. A pastora ficou triste, pois não tinha nada para oferecer ao Menino Jesus, e começou a chorar. Um anjo que por ali passava, ao ver tamanha tristeza, passou junto da menina e, quando as suas lágrimas caíram na terra gelada, transformou-as em lindas rosas brancas, que a menina, com o coração carregado de felicidade, rapidamente apanhou e levou como oferta ao Menino Jesus.
 Autora: Selma Lagerlöf

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

BOAS FESTAS!


Lenda da Vela de Natal 

Era uma vez um sapateiro pobre que vivia numa cabana, junto à encruzilhada de um caminho, perto de uma humilde aldeia. Como gostava de ajudar os viajantes que passavam junto à sua casa durante a noite, o sapateiro deixava uma vela acesa todas as noites na janela da casa para lhes iluminar o caminho. 
Certa altura, deu-se uma grande guerra que fez com que todos os jovens partissem, deixando a aldeia ainda mais pobre e triste. Ao verem a persistência daquele pobre sapateiro, que continuava a viver a sua vida cheio de esperança e bondade, as pessoas da aldeia decidiram imitá-lo e, na noite de véspera de Natal, todos acenderam uma vela nas suas casas, iluminando assim toda a aldeia. 
À meia-noite, os sinos da igreja começaram a tocar, anunciando a boa notícia: a guerra tinha acabado e os jovens regressavam às suas casas! Todos gritaram: “É um milagre! É o milagre das velas!”. A partir daquele dia, acender uma vela na véspera de Natal tornou-se tradição em quase todas as casas.
Lenda antiga de origem austríaca (Autor desconhecido)



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO


LENDA DO PINHEIRO DE NATAL

Há muito, muito tempo, na noite de Natal, existiam três árvores junto do presépio: uma tamareira, uma oliveira e um pinheiro. Ao verem o Menino Jesus nascer, as três árvores quiseram oferecer-lhe um presente. A oliveira foi a primeira a oferecer, dando ao Menino Jesus as suas azeitonas. A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe as suas doces tâmaras. Mas o pinheiro, como não tinha nada para oferecer, ficou muito infeliz. As estrelas do céu, vendo a tristeza do pinheiro, que nada tinha para dar ao Menino Jesus, decidiram descer e pousar sobre os seus galhos, iluminando e enfeitando o pinheiro. Quando isto aconteceu, o Menino Jesus olhou para o pinheiro, levantou os braços e sorriu! Reza a lenda que foi assim que o pinheiro – sempre enfeitado com luzes – foi eleito a árvore típica de Natal. 
Autor: Jean-Baptiste Poquelin Molière

 E para recordar, um tema eterno, 
John Lennon - Happy Christmas War Is Over:


domingo, 20 de dezembro de 2015

ORGÃOS SOCIAIS, ELEIÇÃO PARA AO BIÉNIO 2016/2017

 
Realizou-se ontem,  dia 19 do corrente mês de dezembro  de 2015,  na sede da Associação, a eleição dos órgãos sociais para o biénio 2016 e 2017. Apresentou-se a sufrágio uma única lista que mereceu aprovação pela Mesa da Assembleia Geral e, após votação, foram os associados dela constantes eleitos por unanimidade.

 
São estes os novos órgãos sociais eleitos,  aos quais lhe compete o governo e responsabilidade pelo dia a dia desta associação, para os próximos 2 anos, os quais  de imediato iniciam funções em 01 de janeiro de 2016:


Conselho Directivo:
Presidente: Aníbal José de Sousa, Sócio n.º 8
Vice-Presidente: Albérico Tomás da Silva, Sócio n.º 5
Tesoureiro: José Eduardo Evaristo Cabanas, Sócio n.º 20
Vogal: Gonçalves Fernandes Quitério, Sócio n.º 82 
Vogal: Mário Silvano Vidago, Sócio n.º 27   
Vogal Suplente: Fábio Dinis Gonçalves Martinho, Sócio n.º 151

Conselho Fiscal:
Presidente: Paulo José Santos Baptista, Sócio n.º 30
Vogal: Américo Augusto Silva, Sócio n.º 4
Vogal: Manuel António Brás, Sócio n.º 25 
Vogal suplente: Joaquim Augusto Meireles, Sócio n.º 19;

Mesa da Assembleia-Geral:
Presidente: Manuel Luís Clara, Sócio n.º 26
Vice-Presidente: Marisa Sousa Cabanas, Sócio n.º 28
Secretário: Carlos José dos Santos, Sócio n.º 150
Secretário suplente:Pedro José Vidago Pereira, Sócio n.º 31

Registe-se que,  a  grande parte  dos agora eleitos já elencavam os anteriores órgãos sociais.
Em nome da ACRA-EC,  cumpre-nos agradecer a todos os que se têm empenhado nesta causa e que, de qualquer modo, nos têm dado o seu apoio. Para eles, deixamos o o nosso MUITO OBRIGADO.

Saudações Associativas.
Pel'ACRA-EC
Aníbal José de Sousa
Presidente do Conselho Directivo

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

PARA RECORDAR: AS ALDEIAS, do (antigo) LIVRO DE LEITURA DA TERCEIRA CLASSE

AS ALDEIAS
O João Rodrigues fora passar uns dias de férias com os primos, que viviam em Lisboa.
A princípio mostrava-se tímido, envergonhado da sua condição de rapaz da aldeia, perante o desembaraço dos meninos da cidade.
Ao terceiro dia, porém, já não havia braços mais fortes que os sues nas lutas que travava com os outros meninos a brincar, e tinha quase sempre na ponta da língua a resposta às perguntas que lhe faziam.
Uma vez calhou falar das «Janeiras» da sua aldeia, cantadas na escuridão da noite, ou por um luar mais lindo que todas as luzes da cidade. Os outros ficaram encantados com o que ouviam, e o Rodrigues nunca mais deixou de ser instado para dizer coisas da sua terra distante. Era então um nunca mais acabar! A matança dos porcos, as filhós e o madeiro de Natal, o recolhimento das pessoas durante a Quaresma, a procissão de domingo de Ramos, em que não faltava rapaz com o seu ramo de oliveira e alecrim, os bolos da Páscoa, os encantos das romarias, as malhas, a vida rude dos pastores e lavradores,  - tudo o João Rodrigues ia contando aos primos, cada vez mais interessados pela vida campesina.
Um deles chegou a dizer-lhe:
-Estou a ver que a tua aldeia é mais linda que a nossa Lisboa...
Mas o João Rodrigues respondeu-lhe acertadamente.
-Lá tanto não digo. A gente, quando aqui chega, fica deslumbrado com todas estas grandezas. Vós deveis gostar muito de Lisboa, que é linda na verdade. Eu também gosto, principalmente do Tejo e do Jardim Zoológico; mas não lhe tenho amizade. A minha aldeia, essa, trago-a no coração. É a minha terra!
O Tio Mário, que o ouvira, de passagem pela sala onde os pequenos se encontravam, não pôde conter-se que não dissesse:
-Gosto de te ouvir, rapaz. Sabes ser fiel ao amor que deves à terra em que nasceste. 
In Antigo LIVRO DE LEITURA DA 3.ª CLASSE, Editora A Educação Nacional, Lda, Porto.

sábado, 12 de dezembro de 2015

DESPORTO: FUTEBOL, EURO 2016 SORTEIO FASE FINAL

Realizou-se hoje (12/12/2015, às 17 horas) em Paris, o sorteio da fase final do Euro'2016. Portugal é uma das 24 equipas presentes na prova,  encabeça o Grupo F e defrontará a Islândia, Áustria e Hungria.
A competição realiza-se em França (10 cidades) entre 10 de Junho e 10 de Julho de 2016
saiba mais...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

ELEIÇÃO DOS ORGÃOS SOCIAIS PARA O BIÉNIO 2016/2017

No próximo dia 19 do corrente mês de dezembro (Assembleia Geral às 21:00h), serão eleitos os órgãos sociais desta associação para o biénio de 2016 e 2017.  De acordo com o constante dos Estatutos as listas devem ser entregues ao sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral até 10 dias antes (09/12/2015) da data da AG (19/12/2015).
Foi entregue um única lista (que abaixo se elenca) e, como tal, será esta a que será submetida a votação:
 
 
Pedimos aos senhores associados  que compareceram e que, através da sua opinião e do seu direito (voto) expressem a sua vontade. 

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

IMPOSTOS: QUE ALTERAÇÕES PARA 2016?

Segundo o publicado na secção de economia do jornal Expresso, serão as seguintes as principais alterações, em matérias de impostos,  que se aguardam para 2016:

 "O Novo Governo socialista só vai mexer nos escalões do IRS em 2017, no mesmo ano em que a sobretaxa desaparece definitivamente. IVA da restauração desce para os 13% já em 2016. TSU e IRC não mexem. Tratando-se de matéria que "precisa de estudo", o Governo que esta tarde tomará posse não vai mexer nos escalões do IRS já no próximo ano. Segundo declarações do novo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, ao "Diário de Notícias", a maior progressividade no imposto, de forma a reduzir a carga fiscal sobre os contribuintes, fica adiada um ano.

Em meados deste mês, o economista Mário Centeno, que esta quinta-feira se prepara para assumir a pasta das Finanças, anunciou em entrevista que, em caso de indigitação de um Governo socialista, seria criado um novo escalão de IRS para os mais pobres. Este escalão estaria ligado "à questão do complemento salarial anual, que é a criação do imposto negativo de um crédito fiscal", ou seja, "criar um novo escalão de IRS abaixo dos escalões que já existem". Mas este objetivo não se deverá cumprir através do Orçamento de Estado (OE) para 2016, segundo Fernando Rocha Andrade.

No próximo ano, haverá sim mudanças na sobretaxa, que descerá para 1,75%. No ano seguinte desaparecerá definitivamente.

No OE 2016 estará contemplada outra mexida: a descida do IVA da restauração dos atuais 21% para 13%, uma alteração exigida por toda a esquerda durante a campanha eleitoral.

O que não mexe em 2016
A progressividade do IMI, outra promessa do Governo, também terá de esperar por 2017. Os socialistas pretendem, entre outros aspetos, introduzir no Imposto Municipal sobre Imóveis mecanismos semelhantes ao que existem no IRS: casas mais caras pagam mais; casa mais baratas pagam menos. Até agora, o sistema tem sido proporcional: a percentagem para todos os imóveis é igual, definida pelas autarquias, independentemente do valor do que é tributado. Esta é outro a tema a "exigir estudo", pelo que "nuca será aplicada antes de 2017", referiu o secretário de Estado.

O aumento da taxação dos dividendos também ficará adiada por outro ano. Atualmente, só paga imposto quem detenha participações inferiores a 2%. Agora, o novo Governo pretende alargar a base de incidência do imposto, fixando a fasquia de isenção em 10%. A medida, prevista no acordo entre o PS e o Bloco de Esquerda, será mais uma das que precisa de ser analisada com mais tempo.

Do mesmo problema padece a questão das compensações de crédito. Neste momento, uma empresa que seja devedora ao Fisco de mil euros (devido aos pagamentos especiais por conta) e tenha a receber dez mil euros (em devolução por acerto de IVA), não poderá receber esta quantia enquanto não pagar o que deve. O Governo socialista pretende que estes dois pagamentos possam ser acertados. Apesar de esta medida possa ser criada por despacho governamental, sem ter de ser aprovada em Parlamento, também não será para já implementada: "precisa de ser estudada".

Um dos pontos assentes para o próximo ano é o de que o IRC vai manter-se nos 21% e não sofrerá uma descida de 1%, como pretendia o Executivo de Pedro Passos Coelho.
A Taxa Social Única (TSU) também não sofrerá alterações, tendo em conta o que foi negociado com o Bloco e o PCP com vista à assinatura dos acordos à esquerda." Fonte: Expesso, edição online, 26/11/2015.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

ALMOÇO de Confraternização e Convívio, 15/11/2015, 12:30 h

No próximo dia 15 deste mês (domingo), pelas 12:30 teremos mais um ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO E CONVÍVIO, para o qual desde já convidamos todos os sócios, amigos e amigos dos amigos. O preço da presença é pouco mais que simbólico (único: 5,00 €), e grátis para crianças até 6 anos.
Contamos com todos. A ementa é boa (mista de carnes grelhadas, etc. etc. ); 

Animação: Música, cantigas e Fado. 

Evento aberto a toda a gente!
Que ninguém falte, há lugar para todos!!!
A vossa presença é "indispensável", a vossa ajuda preciosa e nós ficamos muito gratos!




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO DE 18/10/2015, TEMPO PARA O FADO (Parte III)

Mais um apontamento da fantástica participação da fadista Marília Delgado   no nosso evento de 18/10/2015.

Marília  Delgado, Fadinho Serrano


 Marília Delgado, Senhor Vinho


Marília Delgado, Foi Deus


Marília Delgado, Lágrima


Marília Delgado, Rua do Capelão


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Fado: Património Imaterial da Humanidade

O fado é um estilo musical português. Geralmente é cantado por uma só pessoa (fadista) e acompanhado por guitarra clássica (nos meios fadistas denominada viola) e guitarra portuguesa. O fado foi elevado à categoria de Património Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO[1] numa declaração aprovada no VI Comité Intergovernamental desta organização internacional, realizado em Bali, na Indonésia, entre 22 e 29 de Novembro de 2011.(fonte: Wikipédia)



.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO DE 18/10/2015, TEMPO PARA O FADO (II)

Mais um apontamento da fantástica participação das fadistas Marília Delgado  e  Zita Sousa  no nosso evento de 18/10/2015.

 
Zita Sousa, Não passes com ele à minha rua
  

Zita Sousa, Fado Bacalhau


Zita Sousa, O Xaile de Minha mãe


Zita Sousa, Senhora do Livramento


Marilia Delgado, Que Deus me perdõe




segunda-feira, 26 de outubro de 2015

UMA AMOSTRA DO EVENTO DE 18 de OUTUBRO de 2015 (Parte I)

Um pequeno apontamento da fantástica participação das fadistas Marília Delgado  e  Zita Sousa  no nosso evento de 18/10/2015. Para elas, pela disponibilidade, generosidade, simpatia e pelo talento com que nos presentearam, um enorme OBRIGADO desta Associação, seus sócios e amigos.

 Marila Delgado, Nem as paredes confesso

 Zita Sousa, Testamento
Zita Sousa, Saudade, Sil|encio e Sombra
Zita Sousa, Lenda da Fonte

Brevemente publicaremos outros videos deste excepcional evento.

Muito obrigado a todos quantos estiveram connosco nesse dia. Prometemos repetir em dose melhorada!




segunda-feira, 19 de outubro de 2015

ELEIÇÃO DOS ORGÃO SOCIAIS PARA O BIÉNIO 2016/2017, AG CONVOCATÓRIA

O Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral convocou para o próximo dia 19 de dezembro a Assembleia Geral afim de eleição dor órgãos sociais para o biénio de 2016/2017, cujo teor abaixo se transcreve:



sexta-feira, 9 de outubro de 2015

ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO E SESSÃO DE FADOS

ALMOÇO e SESSÃO DE FADOS, 18/10/2015, 13:00 h

No próximo dia 18 deste mês (domingo), pelas 13:00 teremos mais um ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO E CONVÍVIO, para o qual desde já convidamos todos os sócios, amigos e amigos dos amigos. O preço da presença é pouco mais que simbólico (5,00 € para os sócios e 6,00 € para não sócios). 
Contamos com todos. A ementa é boa (feijoada à transmontana, etc. etc. ); 

Desta vez, a "ementa" será acrescida com uma fantástica:
SESSÃO DE FADOS
Estarão connosco 2 prestigiados e conhecidos músicos (Guitarra e Viola);
Vozes teremos:  
A"nossa" ZITA e a 
FADISTA convidada: MARÍLIA DELGADO.

Almoço e/ou espectáculo aberto a toda a gente!
Que ninguém falte, há lugar para todos!!!
A vossa presença é "indispensável", a vossa ajuda preciosa e nós ficamos muito gratos!




Se o tempo não ajudar, acrescentaremos a  sala com a tenda (+100 m2)! 

Venha passar um bom pedaço do dia connosco porque, além de ficarmos imensamente gratos pela sua presença certamente encontrará muitos dos seus amigos e, ainda,  contribuirá para a nossa obra, a obra da nossa terra! Contamos consigo,traga a sua família e os seus amigos. O preço de participação é quase simbólico (o do costume), isto é, pouco mais do que o preço de um maço de tabaco!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

FÁBIO VIDAGO, PARABÉNS!

Transcrevemos o  texto de autoria de Fernando Pires, publicado numa rede social, que nos deixa a seguinte noticia: 

"Dois mirandelenses conquistaram o segundo lugar, no “Prémio Jovens Músicos” promovido pela RTP e Antena 2.

Nuno Ferreira, de 20 anos, frequenta a licenciatura de violoncelo, e Fábio Vidago, de 19 anos, está na licenciatura de viola d’arco. Os dois jovens músicos de Mirandela vão iniciar o terceiro ano, na ESMAE, Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo, no Porto.
Há cerca de um ano, com a ajuda de mais dois alunos da ESMAE, decidiram formar o quarteto Sfourzato. O gosto pela música de câmara já vem desde os tempos em que ambos começaram os estudos na Escola Profissional de Arte de Mirandela.
Apesar do pouco tempo de vida, decidiram tentar a sua sorte e apostar na participação num concurso de enorme visibilidade: A 29ª edição do Prémio Jovens Músicos, promovido e organizado pela RTP e a Antena 2, destinado a músicos portugueses e estrangeiros residentes em Portugal.
Tiveram de passar pela pré-eliminatória, e pela eliminatória, na Casa da Música, no Porto, apurando-se para a final onde só estavam três projetos de música de câmara.
O segundo lugar foi uma surpresa agradável e Nuno Ferreira revela "a enorme dificuldade que o júri sentiu na atribuição dos prémios dado o elevado nível de qualidade"
Os ensaios foram de tal forma intensos que "chegaram às oito horas por dia", conta Fábio Vidago
Com esta intensidade de ensaios de preparação, os jovens músicos sacrificaram as férias.
Mas, o esforço valeu a pena, porque a atuação na final foi muito elogiada, de tal forma, que Fábio e Nuno ganharam um novo ânimo para tentar tirar o mestrado em música de câmara, no estrangeiro, por forma a dar garantia de qualidade ao projeto do quarteto sFourzato
Com o segundo lugar no Prémio Jovens Músicos, o quarteto garantiu um prémio no valor pecuniário de mil euros, uma gravação para a Antena 2 e um diploma de mérito para cada elemento do grupo"
(Fonte: Fernando Pires, Facebook,15/09/2015).