sábado, 25 de Julho de 2009

VERÃO, SOL, FÉRIAS, FESTAS: ALGUMAS PRECAUÇÕES A TOMAR


Com a chegada do verão, chega também o tempo de férias, oportunidade para o lazer, o campo ou a praia e, também, algumas festas.
Nesta altura, nunca é demais o relembrar dos cuidados a ter com a exposição em demasia ao sol, bem como os riscos de outras doenças comuns desta época.




Além das queimaduras solares, o calor proporciona, também, condições ideais para a ocorrência de algumas doenças, sendo as mais frequentes aquelas que levam a perda de líquidos e a desidratação. No entanto, alem destas, outras ainda também são muito comuns: A insolação, as Micoses e até a intoxicação alimentar são doenças frequentes nesta altura e que podem atrapalhar as suas férias.

Deixamos algumas recomendações e cuidados que deve observar:

Cuidados com o Sol
Abuse do protector, use chapéu, evite a praia nas horas de maior calor e proteja as crianças. As roupas sintéticas e escuras defendem melhor a pele.
O Sol tem um efeito benéfico sobre o estado de espírito e é indispensável para certas funções corporais, como a síntese de vitamina D. Mas a exposição excessiva provoca o envelhecimento precoce da pele. Além disso, pode ser responsável pelo aparecimento de lesões cancerosas.
Evite-o durante as horas mais quentes do dia, entre as 11 e as 17, e aplique frequentemente protector solar.
Conheça o seu tipo de pele (fotótipo) para determinar o tempo máximo de exposição solar e o índice de protecção necessário.
Até aos 6 meses, não leve os bebés à praia e, até um ano, evite a sua exposição directa ao Sol. Proteja as crianças com creme solar de índice elevado, t-shirt e boné.

A Desidratação
A desidratação é a perda de líquidos e sais minerais do corpo. Normalmente, perdemos
em média 2,5 litros de água por dia, seja pela urina, fezes, suor ou até mesmo pela
respiração. Essa perda pode ser aumentada por vários factores no verão. O aumento da
transpiração, ou ainda alterações provocadas pela ingestão de alimentos contaminados ou mal conservados como vómitos e diarreias são mais frequentes neste período.
O soro caseiro pode ser utilizado sempre que se suspeitar de uma desidratação, e deve ser feito misturando uma colher de chá de açúcar e uma colher de café de sal em um litro de água. Deve-se oferecer à pessoa desidratada à vontade a cada 20 minutos e
após cada evacuação no caso de diarréia. Há casos em que a desidratação se torna mais
grave sendo necessário o atendimento hospitalar.

Insolação
A insolação é provocada pela exposição excessiva ao sol. Pode provocar intensa
falta de ar, dor de cabeça, náuseas e tontura, temperatura do corpo elevada, pele quente,avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e até mesmo a inconsciência.
Mesmo sem estar directamente exposto ao sol,é possível ter insolação. A areia reflecte o sol e, desse jeito, aumenta a temperatura da pessoa pelo calor, não pela exposição directa ao sol. Nesse caso, a pessoa não queima, mas assa. Os sintomas são idênticos aos da insolação.
Ao primeiro sinal de insolação, é aconselhado que a pessoa procure a sombra além de se hidratar de forma adequada. Em casos graves de queimadura e de aumento da temperatura corporal, é necessário procurar o atendimento médico.
As pessoas devem evitar tomar sol entre 10h e 16h (11h e 17h, no horário de verão), e não devem fazer exercícios físicos sob o sol nesse horário. É aconselhado também, tomar cerca de dois a três litros de água por dia, e usar protector solar pelo menos 15 minutos antes da exposição do sol, repetindo a aplicação a cada duas horas.

Micoses
Como o verão é a estação mais quente do ano, transpiramos muito e temos mais contacto com a água. Isso faz com que a nossa pele fique húmida por mais tempo. A humidade da pele favorece o aparecimento das micoses, que são doenças causadas por fungos e que podem ser adquiridos na praia ou nas piscinas. Em contacto com a pele húmida, os fungos se desenvolvem rapidamente. Todo o corpo pode ser afectado pelas micoses. No verão, é mais comum o acometimento das virilhas, pés e unhas.
A doença inicia-se sempre por uma pequena lesão vermelha. Provoca escamação contínua
da pele e coceira. O stress e o sol podem facilitar a sua manifestação.
Ao sinal de micose, deve-se procurar o dermatologista. A automedicação não é aconselhada já que as micoses podem ser confundidas com outras doenças.

Intoxicação Alimentar
Nas férias é comum que as pessoas se alimentem na praia ou em outros locais que muitas vezes não possuem higiene adequada no preparo e conservação dos alimentos. As refeições em self-service que são comuns nestes períodos, os doces e os salgadinhos na praia, os peixes e outros petiscos que na maioria das vezes ficam expostos por longos períodos à temperatura ambiente são os principais causadores da intoxicação alimentar.
Quando uma pessoa ingere um alimento contaminado, ela pode desenvolver alguns sintomas que variam de acordo com o microrganismo causador do distúrbio. Em
geral, os sintomas da intoxicação alimentar duram poucos dias. Nos casos menos graves, um dia de repouso e a ingestão de uma grande quantidade de água ou de sumos, são suficientes para compensar a perda de líquidos provocada pela diarréia ou pelos vómitos.
Tenha alguns cuidados neste verão e desfrute desta estação do ano com tranqüilidade!





Fontes:
Saude e Prevenção
Deco/proteste/Cuidados Com o Sol

Sem comentários: